As consultas e os exames médicos que deve fazer em 2019

As consultas e os exames médicos que deve fazer em 2019

O início de um novo ano é uma excelente altura para fazer um balanço e também para realizar aquelas consultas que passa a vida a adiar. Saiba quais são os especialistas a procurar nos próximos meses e comece já a tratar de fazer as marcações.

Ao fazer as suas resoluções para o novo ano, inclua na sua lista de prioridades para os meses que se avizinham um check-up à sua saúde. Esta é uma excelente altura para realizar aquelas consultas e aqueles exames que passa a vida a adiar. Se ainda não os agendou, é melhor começar a preparar-se para o fazer. Poderá vir a ser a sua melhor decisão e a mais sábia resolução de 2019 porque, como sabe, com a saúde não se brinca!

Exame oftalmológico

Deve ser feito com regularidade, idealmente todos os anos. A partir dos 40 anos, mesmo que não tenha nenhuma dificuldade na visão, deve realizar um para prever, entre outros problemas, o risco de glaucoma, uma doença ocular que pode levar à cegueira. Repita este procedimento de diagnóstico todos os anos, sobretudo se tiver diabetes. Se usa óculos ou lentes de contacto, verifique a graduação.

Colonoscopia

Este exame deve ser feito com regularidade a partir os 50 anos ou, quando há história familiar de cancro coloretal, aos 45 anos. É o procedimento de diagnóstico que deteta lesões malignas ou pré-malignas no intestino que permite avaliar a existência de sintomas de cancro coloretal. Repita a cada dez anos ou a cada cinco, em caso de histórico de doença familiar.

Densitometria óssea

É recomendado a partir dos 65 anos. É o exame que mede a densidade dos ossos. No caso de fraturas vertebrais ou da anca e/ou de magreza excessiva, este exame deve ser feito mais cedo. Depois da menopausa, há uma perda de massa óssea abrupta e este é o exame que permite diagnosticar a osteoporose. Repita a cada dois anos, se tiver osteoporose e se estiver a fazer tratamento.

Citologia do colo do útero

No máximo, deve ser realizado até três anos depois de uma mulher iniciar a sua vida sexual. No Serviço Nacional de Saúde, o rastreio é feito entre os 25 e os 64 anos, gratuitamente, de três em três anos, na consulta de planeamento familiar. É o exame ginecológico que analisa as células do colo do útero e permite diagnosticar o cancro do colo do útero. Deve ser repetido, idealmente, a cada três anos.

Mamografia

A mamografia deve ser feita a partir dos 45 anos ou, em casos de cancro da mama em familiares diretos (mães, irmãs ou tias), antes dos 40. Deverá continuar a realizar, mensalmente, o autoexame da mama mas, nesta idade, com a mamografia já é possível identificar nódulos precoces que ainda não podem ser sentidos na palpação. Repita a cada dois anos para minimizar os riscos de cancro de mama.

Autoexame da mama

A partir dos 20 anos, deve fazer parte das rotinas de qualquer mulher. Até aos 40 anos, é o meio mais eficaz para detetar precocemente o cancro da mama. Consulte o médico, se detetar assimetrias, alterações notórias da cor da pele ou se sentir dor. Repita todos os meses, depois da menstruação. Para saber quais são os gestos que deve executar para fazer o autodiagnóstico.

4 consultas que também são indispensáveis:

1. Check-up médico

Consulte o seu médico de família, uma vez por ano. Além das análises de rotina, deve fazer monitorização do peso e programação do estilo de vida mais adequado, principalmente a partir dos 40 anos.

2. Consulta dentária

Visite o dentista, uma vez por ano, não só para prevenir problemas dentários mas também para evitar complicações que podem decorrer de problemas dentários e que podem ter consequências graves como doenças cardíacas e renais.

3. Consulta de planeamento familiar

É a primeira consulta que deve agendar, por volta dos 20 anos ou quando iniciar a sua vida sexual. Está disponível nos centros de saúde. Serve para abordar problemas ginecológicos, realizar a observação ginecológica e esclarecer dúvidas sobre a sexualidade e a contraceção. Pode-se ainda fazer o rastreio oncológico (a citologia do colo do útero) e ajudar a programar a gravidez. Deve ser repetida todos os anos.

4. Consulta pré-concecional

Se é mulher e está a pensar em ser mãe, deve marcar uma consulta pré-concecional cerca de quatro meses antes de engravidar. Esta consulta é fundamental para antecipar problemas que possam surgir durante a gravidez e para garantir uma gestação saudável.

Texto: Sofia Santos Cardoso

Fonte: https://lifestyle.sapo.pt